• Bruno Barreto

O novo paradigma pós-pandemia: do corpo diretivo às lideranças acadêmicas

O mundo pós-pandemia potencializou mudanças que estavam em processo de aceitação a passos lentos no âmbito educacional brasileiro. Algumas IES adotaram modelos de ensino híbrido associado a uma metodologia ativa de ensino e aprendizagem com as tecnologias e as ferramentas digitais de ensino, porém, não é uma realidade na sua ampla compreensão no cenário educacional acadêmico.


Por isso, as mudanças que ocorreram no mundo pandêmico obrigou que tais mudanças viessem a serem compreendidas de maneira rápida e de uma atualização generalizada do corpo diretivo às lideranças acadêmicas, tanto na gestão interna e externa como também na sinergia e sustentabilidade da IES.


As tecnologias digitais vieram para ficar e mediar os ambientes virtuais de aprendizagem


Uma abreviação que se tornará relevante para a construção do entendimento dos ambientes virtuais de aprendizagem será respaldado pela mediação das TIC (Tecnologias da Informação e Comunicação).


No âmbito da Educação, é necessário compreender que o uso das TIC, contribui na maneira de elaborar diferentes perfis de matrizes de aprendizagem, de acordo com o modelo de ensino adotado pela IES. Por isso, as TICs estão disponíveis aos profissionais de educação a fim de desenvolverem habilidades com intuito de planejar, executar e mediar os processos de aprendizagem em diversos contextos. Separamos aqui alguns itens primordiais para a compreensão dos ambientes virtuais de aprendizagem mediados por TICs.


  • Ter o conhecimento de alguns modelos de Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVA);

  • Capacidade de analisar diferentes modelos AVA a partir das características essenciais de suas funcionalidades;

  • Configurar ambientes de aprendizagem com materiais de apoio;

  • Compreender os processos de preparação dos ambientes, de acompanhamento e de atuação dos estudantes.



Mas, afinal, o que são os Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVA)?


Com o advento da transformação tecnológica dos últimos anos, os fenômenos de aprendizagem também se transformaram ao longo do tempo e foram também ressignificados na forma como as tecnologias digitais interferiram na maneira de aprender. Por isso, os softwares relacionados ao fenômeno da aprendizagem são chamados de Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVA).


O ambiente de um AVA é um sistema de informação que pode ser utilizado como plataformas de distribuir conteúdos com o intuito de mediar as trocas de materiais e de comunicação nas diversas modalidades de ensino, no caso aqui, falaremos do Ensino Híbrido. Sabemos, contudo, que o ensino mediado por tecnologias digitais possibilitou a amplitude de possibilidades didáticas. Oto Peters, na obra “Didática do ensino a distância: experiências e estágio da discussão numa visão internacional” (Editora Unisinos, 2001), diz que as novas tecnologias ampliam o espectro das formas do ensino e da aprendizagem no ensino a distância numa dimensão quase inimaginável e amplia-se o espaço para decisões didáticas (PETERS, 2001, p. 230).


Em resumo, o AVA é um software desenvolvido para o uso na WEB a fim de proporcionar elementos necessários para um cenário de interação educacional envolvendo estudante e professor com conteúdos e ferramentas de comunicação utilizadas na estruturação de cenários de aprendizagem variados, podendo atender a uma gama de propostas didáticas.


Interações Síncronas, Assíncronas e as funcionalidades do AVA


Esboçaremos aqui em uma síntese as diversas funcionalidades que o AVA possui com o intuito de proporcionar interações síncronas (em tempo real) e assíncronas (em tempo diferente) para os seus usuários na coordenação das atividades bem como na organização de grupos de trabalho.


As interações no AVA podem ocorrer tanto de maneira síncrona (videoconferências, salas de bate-papo) como também assíncrona (gravação das aulas, materiais de apoio, organização de tarefas). O espaço do AVA permite também que os materiais compartilhados pelo professor sejam disponibilizados na plataforma para que o estudante possa ter acesso a qualquer momento para o seu estudo.


As principais funcionalidades do AVA são:

  • Gestão de diversos tipos de usuário do ambiente, possibilitando assim permissões distintas para o administrador, professor, tutor e estudante;

  • Gestão de conteúdo na plataforma, permitindo a criação de cursos e a organização dos materiais didáticos de modo que o estudante se guie facilmente pelos cenários de aprendizagem e que o mesmo faça o seu próprio tempo dentro de uma Metodologia Ativa de Ensino e Aprendizagem dentro do Ensino Híbrido;

  • Avaliação e acompanhamento da aprendizagem por intermédio de diversas ferramentas da plataforma;

  • Interatividade com as mídias e estudantes a partir das diversas ferramentas de comunicação;

  • Controle, registro e monitoramento de todas as atividades por parte do professor e acessos dos participantes;

  • Ferramentas para propiciar a aprendizagem colaborativa pelos quais os participantes com interesses em comum podem trabalhar em grupos, integrando e compartilhando conhecimentos;

  • Customização da forma de apresentação dos conteúdos e adequação às necessidades individuais do aprendiz (personalização na aprendizagem).


Saiba mais sobre alguns modelos de AVA:


Antes de falarmos de alguns modelos, é preciso falar que cada AVA tem a sua respectiva funcionalidade que terá de ser avaliada se corresponderá ao modelo didático de ensino e aprendizagem da IES.


O Moodle (Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment) é o LMS (learning management system) mais conhecido no cenário educacional hoje, com mais de 1.400.000 usuários registrados no mundo, aproximadamente. O Moodle oferece uma variedade de opções para trabalhar com conteúdos e atividades, desde links a envio de arquivos em formatos variados, oferecendo também recursos específicos para a formatação de conteúdos e espaços de comunicação e troca de mensagens. O Moodle permite a integração de novas ferramentas a partir de plugins.


BlackBoard é o AVA cujo sistema de gerenciamento de cursos foi desenvolvido pela Blackboard Inc. Ele é um software que possibilita o gerenciamento de cursos, com arquitetura aberta e personalizável com design escalável que permite a integração com sistemas acadêmicos e protocolos de autenticação. Pode ser instalado em servidores locais ou hospedado pelo Blackboard ASP Solutions.


Amadeus é um sistema de gestão da aprendizagem que possibilita aos usuários manipular a própria plataforma por intermédio da tecnologia Java Script. O Amadeus possui funcionalidades de navegação que simplificam a interação na Web, e também possibilita a integração com diversas mídias em sua interface, tais como: jogos e simulações multiusuários (que agregam recursos da realidade virtual), vídeos, conteúdo textual, áudio e imagens.


A prática docente associada ao AVA


A criação dos Ambientes Virtuais de Aprendizagem foi acompanhada da proposição de diversos modos de ensino e aprendizagem, baseados nas abordagens pedagógicas do ensino presencial, com ou sem adaptações. A abordagem pedagógica acaba por impactar a escolha do AVA a ser utilizado. A ressignificação do corpo docente no processo de Ensino e Aprendizagem dentro das Metodologias Ativas é algo importante a ressaltar antes da associação da prática da docência em associação ao AVA.


Existem ainda muitas IES cujo corpo docente é formado em plena maioria por professores do século 20 que utilizam abordagens pedagógicas semelhantes às do século 19 e com estudantes do século 21. Essa comparação não se utiliza de caráter pejorativo, mas uma forma de conscientizar que o modelo de ensino adotado em épocas anteriores não atende mais às dinâmicas de uma sociedade convergente ao digital.


Essa ressignificação é algo fundamental para que o corpo docente tenha consciência da sua entrada no mundo tecnológico de modo que facilite a comunicação entre professor e estudante em uma linguagem mais autônoma, que faça do aluno o próprio protagonista, e não mais o professor como o centro das atenções.


De certa forma, as abordagens pedagógicas também pedem que novas funcionalidades sejam incorporadas nos ambientes virtuais. Por exemplo, para permitir que a aprendizagem mediada seja efetiva em todas as fases da prática docente, o AVA precisa dispor de uma ampla gama de ferramentas de comunicação síncronas e assíncronas.


Na educação mediada por TIC, seja ela presencial, híbrida ou totalmente EaD, a forma e a estrutura da prática docente passam por transformações, ou seja, se ressignificam de maneira temporal e espacial em um mesmo tempo. Pode-se dizer que a principal mudança, nesse cenário mediado por TIC, esteja relacionada ao fato do professor e aluno não estarem fisicamente no mesmo espaço físico no momento da aprendizagem.


Nesse caso, cada estudante entrará em contato com o material instrucional que orientará sua aprendizagem no momento da sua escolha dentro da abordagem da Metodologia Ativa, no modelo híbrido de ensino associado à sala de aula invertida. Portanto, tudo tem que estar preparado para o momento em que ele ingressar nessa sala de aula virtual, possivelmente sem a presença síncrona do professor.


O ensino híbrido conquista cada vez mais adeptos e a utilização de ferramentas síncronas e assíncronas para fazer o ensino a distância de maneira mais eficaz é essencial.


A sua instituição de ensino está preparada para se ressignificar diante um cenário pós-pandemia? O modelo de ensino tradicional necessita rever suas bases pedagógicas e seus objetivos para sobreviver a um cenário pós-pandêmico. Isso porque as metodologias de ensino e aprendizagem tiveram que se readequar em ambientes tradicionais a fim de nortear a educação em um cenário totalmente imprevisível de uma tecnologia que seria introduzida aos poucos na sociedade.


Porém, instituições de ensino que possuíam o Ensino Híbrido como uma realidade educacional, souberam administrar o momento de forma que os estudantes pudessem seguir com os seus estudos sem uma interferência nos casos de evasão e também na sustentabilidade da IES com relação à sinergia e redução de custos com relação à folha de pagamento docente da receita líquida da instituição.


Essa realidade em si é algo que o corpo diretivo e as lideranças acadêmicas das instituições devem reavaliar. “Será que a minha instituição está pronta para os novos desafios de uma sociedade cada vez mais digital?”.


38 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo