• Gidel Deungaro

É tempo de retenção: como fidelizar seu aluno?

Trabalhar a retenção de alunos nunca foi tão importante. De acordo com dados do Unicef divulgados pelo Governo Federal, a taxa de evasão escolar no Brasil gira em torno de 5 milhões de estudantes.


No ensino superior, não é diferente. Entre 2020 e 2021, 3,42 milhões de estudantes abandonaram as universidades.


Dentre os motivos que estão levando tantos alunos a deixarem as salas de aula, temos a pandemia de coronavírus, crise econômica, desemprego e, claro, falta de oportunidades.

Porém, existe uma crise que pode ser a maior de todas: a falta de conscientização de que sem estudo, não é possível ir adiante na carreira.


E aí entra a necessidade de a sua instituição de ensino trabalhar a fidelização. Ou seja, entregar cada vez mais valor para os alunos, a fim de que eles entendam a importância de dar continuidade à sua educação para que as oportunidades não se percam no meio do caminho.


Por que investir na retenção de alunos?


Se captar alunos já tem se mostrado uma missão difícil nos últimos anos, retê-los até o fim da lifetime value tem sido ainda mais desafiador.


Isso porque a crise no setor educacional está levando as instituições de ensino a desenvolverem estratégias cada vez mais competitivas de atração e retenção de alunos. E quem não tem capacidade de trabalhar o valor das mensalidades e opções de pagamento acaba ficando para trás.


Mas a boa notícia é que fidelizar alunos não está relacionado somente ao preço das mensalidades. Existem estratégias que podem te ajudar a manter alunos fiéis à sua instituição. E é sobre essas estratégias que nós vamos falar daqui em diante.


Invista na comunicação com os alunos


Um dos princípios básicos de qualquer relacionamento saudável é a qualidade da comunicação. Se a sua instituição de ensino não se comunica de forma eficiente com pais e alunos, pode perder grandes chances de retenção desses estudantes.


Portanto, o primeiro passo para fidelizar a educação do seu aluno é desenvolver canais de comunicação eficientes com ele. E no contexto atual, a comunicação digital entra em primeiro lugar.


Tenha redes sociais ativas e profissionais capacitados para realizar o atendimento online. Automatize a comunicação por e-mail e crie mecanismos de recebimento de feedbacks.

Treine sua equipe para realizar um atendimento humanizado, que acolha o estudante e busque soluções rápidas para os problemas apresentados.


Trabalhe de maneira proativa, entrando em contato com alunos que deixaram de renovar a matrícula para lembrá-los dos prazos e das vantagens de fazer parte da sua instituição.


Crie trilhas de aprendizado


Uma das melhores maneiras de garantir a retenção de alunos é mostrar a eles qual é o caminho a ser seguido. Nesse sentido, quanto mais cedo você conquistar a confiança desse aluno, melhor.


Do ensino fundamental ao médio, do médio ao superior e seguindo para a pós-graduação, você pode ir mostrando as possibilidades que cada aluno tem e ajudando-o a tomar a melhor decisão para o seu futuro.


Para tanto, invista em orientações vocacionais, mentorias e planos de vida. Essas são ferramentas que auxiliam as pessoas a entenderem quais são suas aptidões e como elas podem ser usadas no mercado de trabalho.


Promova networking


De acordo com estudos do setor de recursos humanos, a indicação é um dos meios mais utilizados no momento da contratação de novos profissionais.


Por isso, especialmente no ensino superior, é fundamental que você tenha iniciativas que promovam o networking, isto é, a criação de redes de contato estratégicas.


Assim, seus alunos terão acesso a melhores oportunidades de trabalho e parcerias, o que pode se tornar um grande diferencial para sua instituição de ensino.


Invista na análise de dados


Antes de trancar a matrícula, o aluno pode dar sinais de que algo não vai bem. Portanto, identificar esses sinais antes do derradeiro adeus, é essencial.


E é aí que entra a análise de dados, que deve ser feita com base em tecnologia de ponta, como sistemas de Business Intelligence e Inteligência Artificial.


Um estudante que falta muito às aulas, está com as mensalidades atrasadas ou vem perdendo desempenho, por exemplo, deve ser monitorado e orientado da forma adequada para que não desista dos estudos. Nesse sentido, sua instituição de ensino precisa ser preditiva.


Determine quais são os gatilhos que devem acionar sua equipe pedagógica ou financeira e comece a monitorá-los. Não espere que o aluno venha até a instituição com o problema instalado. Crie soluções e oportunidades que podem ser acessadas facilmente.


Para quem já está em situação de trancamento, vale a pena entrar em contato e procurar entender os motivos que o levaram a essa decisão, desenvolvendo um plano personalizado de retomada dos estudos.


Construa uma comunidade


O senso de pertencimento é fundamental para que as pessoas se sintam parte da sua instituição e assim você tenha melhores resultados de retenção de alunos. Essa construção deve ser coletiva e envolver tanto professores quanto funcionários e alunos.


Desenvolva programas que permitam às pessoas trabalharem juntas, mesmo que virtualmente. Projetos de iniciação científica, organização de eventos acadêmicos e iniciativas de extensão são uma boa forma de conectar alunos e instituição, criando vínculos mais duradouros.


Faça bom uso do universo digital para fortalecer a sua comunidade. Grupos exclusivos em plataformas como Facebook e Telegram, conteúdos personalizados e ações de engajamento on e offline são sempre bem-vindas.


Uma boa retenção de alunos começa no momento da captação. Então, se você quer se tornar mestre nesse ciclo de geração de valor, não deixe de conhecer os pilares estratégicos para garantir a sua captação durante e após a pandemia!


69 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo